(41) 3679.8100

O que você precisa saber sobre o diabetes

Você sabe quais são os principais sintomas do diabetes? Provavelmente conheça pelo menos um. Mas e quanto às consequências de não tratar a doença? Você sabe o que pode acontecer com quem não cuida da diabetes? Pode ser que agora sua resposta seja não. E o desconhecimento das consequências pode levar ao abandono do tratamento por muitos pacientes.

O médico Pedro Henrique Lambach Caron, do Hospital Angelina Caron, alerta que a desinformação sobre a doença é a principal causa para que as pessoas demorem tanto para reconhecer o problema e, principalmente, para tratá-lo. A diabetes pode levar à cegueira, amputação e à morte.

Uma pesquisa realizada pela Abril Inteligência e AstraZeneca aponta que 25% dos brasileiros não acreditam que o diabetes possa matar, mas a doença é causa de uma amputação a cada 20 segundos no mundo. Números do Ministério da Saúde apontam que a diabetes é a terceira causa de mortes no Brasil e por isso é tão importante reconhecer os sintomas e, no caso dos portadores da doença, seguir o tratamento à risca.

Entenda um pouco mais sobre o diabetes:

Sintomas
Sede intensa, urina em excesso e coceira no corpo são os principais sintomas e a doença pode se manifestar em qualquer idade. A de tipo 1 é mais comum na infância e adolescência e a de tipo 2 está relacionada com hábitos de vida como má alimentação e excesso de peso, e costuma aparecer após os 35 anos de idade.

Tipos

  • Pré-diabetes: define as pessoas com potencial para desenvolver a doença.
  • Diabetes tipo 1: autoimune, aparece geralmente na infância e adolescência. Ocorre quando o corpo do paciente não produz insulina suficiente.
  • Diabetes tipo 2: está relacionada a outras doenças de histórico familiar (genética) e a hábitos de vida. Esse tipo é principalmente causado por obesidade.
  • Diabetes gestacional: é identificado em gestantes e pode – ou não – persistir após a gravidez.

Fatores de risco
O principal fator de risco no diabetes tipo 1 é a condição genética. No tipo 2 é importante o acompanhamento médico regular para diagnosticar problemas como pré-diabetes, pressão alta, alterações na taxa de colesterol ou triglicérides, obesidade, doença renal crônica, apneia do sono, síndrome de ovários policísticos e histórico familiar.

Consequências
O diabetes quando não tratado adequadamente pode trazer consequências para a visão, rins, coração, sistema nervoso e membros inferiores, podendo levar à amputação ou até mesmo à morte.

Tratamento
O tratamento para o tipo 1 busca a manutenção dos níveis normais de açúcar no sangue com aplicações de doses de insulina. O tipo 2 é tratado com medicamentos, mudanças dos hábitos de vida e, em alguns casos, a aplicação de insulina pode ser necessária. A principal forma de tratamento do diabetes gestacional é uma dieta com restrição de carboidratos e a prática regular de exercício físico moderado. Nos casos mais graves pode ser indicado o uso de medicamento ou até mesmo insulina. O pré-diabetes exige a prevenção e acompanhamento médico para não evoluir para um dos outros tipos da doença.

Prevenção
Adotar uma vida saudável com uma dieta equilibrada e exercícios físicos regulares, abandonar o hábito de fumar e fazer check-up anual para monitorar os índices de glicemia, colesterol e pressão arterial são os principais métodos de prevenção da diabetes.